Certamente quando perguntamos as crianças o que elas querem ser quando crescer jamais ouviremos como resposta: empreendedor (até porque, com pouca idade, muitas ainda nem sabem o que isso significa, não é verdade?).

Mas no sentido de mudar essa realidade, assim como nos EUA, algumas crianças brasileiras já têm contato com noções básicas de empreendedorismo desde cedo. O objetivo, é claro, não é que ao fim da escola eles se formem como novos empreendedores precocemente, mas sim, que possam aprender a colocar em prática suas próprias ideias – muitas vezes desprezadas pelos professores e mesmo pelos pais – e despertar ainda mais a criatividade.

Mas essa questão nos leva também a outra importante reflexão: existe uma fase da vida ou uma idade mais propícia para empreender? Será que isso é mesmo verdade?  

 

Qual é a idade certa para empreender?

 

Será que existe idade certa para empreender?

Será que existe idade certa para empreender?

 

A resposta é NÃO. Não existe uma idade certa para empreender. 10, 20, 30,  80 anos… não existe cedo ou tarde quando se tem a vontade necessária e os recursos mínimos para transformar um sonho ou uma ideia em realidade.

Prova disso é que sempre existiram muitos jovens empresários, assim como pessoas muito mais experientes. Portanto, podemos dizer que o “start” ou o começo sempre considera o melhor momento de vida de cada pessoa. 

É preciso saber tirar proveiro do seu momento e descobrir qual é a hora certa. Assim, não importa se você tem 20 ou se já passou dos 40 anos de idade há muito tempo… sempre é tempo de empreender.

Você conhece o Davi? Davi Braga é um garoto de 13 anos de idade que criou uma startup de venda de material escolar e roubou a cena na última edição do evento de empreendedorismo Demo Brasil Nordeste (evento que ocorreu nos dias 29 e 30 de abril, em Maceió). Assista abaixo o pitch dele:

YouTube Preview Image

 

Davi é filho da empresária Cristina Braga e do investidor anjo João Kepler e cresceu ouvindo e vendo na prática o empreendedorismo. Então, mais uma vez, incentivado pelos pais, deu vida ao List-it, empresa muito promissora. 

Nos Estados Unidos já é bem comum ver startups criadas por prodígios como o Davi. Um dos mais recentes foi o de Nick D’Aloisio, de 17 anos, da startup Summly, que criou um sistema que resume dados e textos A startup foi comprada pelo Yahoo por US$ 30 milhões. Nick começou a desenvolver a tecnologia quando tinha 12 anos e fundou a sua empresa aos 15 anos. 

E já ouviu falar no Luiz Carvalho? Luiz Carvalho, 70 anos foi o responsável pelo projeto ganhador do Startup Weekend Favela, realizado neste ano. O projeto “Plataforma Saúde”, negócio com intuito de disseminar a prevenção de doenças em comunidades carentes, foi a escolhida entre as nove empresas criadas ao longo do fim de semana do evento, que contou com a participação de 120 pessoas.

Agora pergunto: qual é a diferença entre Davi e Luiz (além da idade) e as demais pessoas? Por que no caso deles deu certo?

Talvez alguns de vocês possam dizer que foi pela oportunidade. Outros dirão que são as condições – principalmente o ambiente – que eram favoráveis (Davi por ter nascido em uma família de empreendedores e Luiz por ter participado de um evento voltado para a criação de novas empresas). Sem dúvida algumas esses fatores contaram e muito para o sucesso deles, no entanto, não foi somente isso.

Davi e Luiz se destacam dos demais porque também decidiram arriscar e ir em busca da realização de uma ideia, desprezando a questão da idade ou dos “você ainda é muito novo pra isso” e “você não acha que isso é para os mais jovens?”. As chances de dar certo ou errado foram e ainda são praticamente as mesmas – tanto para eles, quanto para qualquer outro que se arriscasse, mas o fato de descobrirem o “seu momento” certamente também fez uma enorme diferença!

 

Não existe jovem ou velho. Existe o empreendedor!

 

Assim,  quando você se ver frente a essa pergunta que nos levou a escrever esse post ou ainda quando se pegar pensando sobre se “é cedo ou tarde para começar” ou “será que tenho idade para isso?”, lembre-se do Davi e do Luiz e também de alguns personagens conhecidos como Ray Crac (fundador do Mc Donald’s) e tantos outros.

 

cedo-ou-tarde-para-começar

Acredite: nunca é cedo ou tarde demais para empreender! 

 

E você já descobriu o seu momento? Como está o seu espírito empreendedor? Está pronto para empreender? Que tal começarmos juntos?


E você, o que pensa sobre o assunto? Gostou do artigo? Compartilhe conosco sua opinião. Não gostou? Acha que podemos melhorar? Então nos ajude a aprimorar nosso trabalho.

Siga o Startup Sorocaba no Facebook e cadastre-se para receber nossa newsletter e para ser informado sobre todas as novidades.

Compartilhe:

Bacharel em Administração com ênfase em Marketing, especialista em Marketing (MBA em Vendas & Trade Marketing) com larga experiência, atuando no desenvolvimento de marcas, produtos e serviços, gerenciamento de projetos offline e projetos digitais. Presta consultoria na área de marketing, marketing digital e inovação, lecionando como professora convidada em cursos de graduação e MBA. Atuou como BizDev e Curadora de Projetos na Associação Brasileira de Startups (ABStartups) participando diretamente das edições do programa de acesso ao mercado Pitch Corporate (nas verticais Exportação, Educação, in-company), Pitch Gov SP, primeiro programa da América Latina em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (CASE), maior evento da América Latina neste segmento. Atualmente é Sub - Coordenadora do Comitê de Comunidades também na Associação Brasileira de Startups (ABStartups). Sócia da 4 Legacy Ventures, fundadora do Startup Sorocaba e empreendedora digital, já criou inúmeros projetos digitais e contribuiu para o desenvolvimento de outros, tendo sido também parte da equipe de algumas startups. É uma das organizadoras do Google Business Group Sorocaba, atuando diretamente como manager do Google Business Group Women, além de embaixadora de alguns projetos nacionais e internacionais na área de empreendedorismo e tecnologia (como o Technovation Challenge). Já desenvolveu atividades na Campus Party 2015, ministrou palestras e cursos sobre empreendedorismo, empreendedorismo digital e startups. Foi curadora da arena “Tech4Teens” na Virada Empreendedora 2016, mentora convidada do Comitê Acelera da FIESP, Inovativa e de programas voltados para startups onde também já integrou bancas de jurados, avaliando projetos inovadores. É Community Manager da Techstars (uma das maiores aceleradoras do mundo) e Membro do Comitê da Rede Global de Empreendedorismo, atuando como uma das líderes locais em Sorocaba. Autora de dois livros pela Câmara Brasileira do Jovem Escritor, poetisa e aventureira nas horas vagas.