Uma das grandes ilusões que um empreendedor pode ter é que basta ter um produto de qualidade que os clientes virão.
Sim, se isso de fato for verdade, eles “virão”, mas antes disso você terá que ir atrás deles. E isso implica em dizer que por melhor que seja o seu produto ele não se venderá sozinho, ou seja, as pessoas não têm obrigação de saber que a sua empresa existe e que o que você desenvolveu poderá ajudá-las de alguma forma.
E quando dizemos que as pessoas precisam saber sobre a sua empresa e o que ela faz, estamos falando muito menos de RP e muito mais de vendas – que é o traz o resultado que você precisa, no médio e longo prazo para continuar a sustentar a sua empresa.

 

Não terceirize suas vendas

 

Já falamos em alguns posts sobre alguns fatores que fizeram com que algumas startups obtivessem sucesso, e entre elas está o fato delas não terem terceirizado suas vendas. Mas o que isso quer dizer na prática? É simples: ninguém melhor que você ou sua equipe para dizer o que a sua empresa faz. Ainda que você não seja um vendedor (de profissão) é dever de todos na empresa saber de que forma ela pode ajudar os potenciais clientes. Lembre-se de que se você mesmo não acreditar naquilo que está criando ou oferecendo, ficará difícil fazer com que outras pessoas acreditem.

É importante lembrar também que um produto de qualidade não é suficiente para garantir o sucesso da sua startup. Sem dúvida é um bom começo para começar a jogar, no entanto saiba que as regras deste jogo são impostas pelos clientes (aka “mercado”).

 

Vender sem vender

 

Contraditório? Pode até parecer, mas o que queremos dizer na verdade é que muitas vezes você não precisa ser aquele vendedor chato, ansioso para concluir uma venda, a qualquer custo. Se as pessoas descobrirem que você quer ajudá-las de fato, certamente você não precisará vender nada, acredite: elas comprarão de você. Assim, é preciso que antes de mais nada, você tenha a intenção de contribuir, de realmente tornar a vida do seu cliente melhor – e não apenas de aumentar as receitas da sua empresa. E algumas startups falham exatamente nessa parte. Querem empurrar para o mercado aquilo que produziram, sem saber ao certo se o mercado quer ou precisa. E isso faz um diferença enorme, porque na verdade toda empresa existe para sanar uma necessidade do mercado logo, se não existe nenhuma necessidade, também não haveria porque a sua empresa existir. Simples assim!

Então, como vender sem vender?

Primeiro criando um produto ou serviço que atenda a uma demanda real do mercado. Só com esse passo você eliminará uma das maiores barreiras: a de acesso a um mercado. Depois encontrando uma solução que se adeque a um mercado suficientemente atrativo (e não o contrário). Quando essa equação fechar, você terá conseguido o que nós chamamos de product/market fit. Terceiro ponto, mas não menos importante: dizendo para esse mercado que você existe (e saiba que se você pretende atuar no mercado B2B, prospectar clientes é essencial).

As estratégias para atrair/reter clientes podem variar muito: inbound marketing, outbound, inside sales, field sales, etc., e a definição de uma estratégia não depende apenas da sua capacidade de investimento, mas sim prioritariamente do seu público-alvo. E aqui vai mais uma dica: copiar uma estratégia só porque deu certo em outra empresa pode ser um fiasco. Se for copiar, ao menos seja esperto e contextualize ou adapte ao seu modelo de negócios.

 

Startup Sorocaba: Vender é uma arte e habilidade que pode ser adquirida, portanto, não terceirize suas vendas

 

Vender é uma arte e habilidade que pode ser adquirida, portanto, não terceirize suas vendas! Prefira estar perto daquelas pessoas que vão ajudar a fazer da sua empresa algo sempre melhor: os clientes.

Então… bora lá em busca dos clientes!


E você, o que pensa sobre o assunto? Gostou do artigo? Compartilhe conosco sua opinião. Não gostou? Acha que podemos melhorar? Então nos ajude a aprimorar nosso trabalho.

Siga o Startup Sorocaba no Facebook e cadastre-se para receber nossa newsletter e para ser informado sobre todas as novidades.

Compartilhe:

Toda startup só sobrevive no mercado se tiver clientes e o processo de aquisição de clientes é uma das estratégias de marketing e de crescimento mais importantes no ciclo de vida de uma startup. Mas não basta apenas trazer clientes para dentro, como se diz popularmente, também é preciso fazer com que o custo de aquisição de clientes seja otimizado.

 

Mas, o que é Custo de Aquisição de Clientes?

 

Também chamado somente de CAC (das iniciais), o custo de aquisição de clientes é o montante investido para trazer clientes para sua empresa. O valor pode variar conforme o estágio da sua startup já que, geralmente até se ter o product market/fit, ou seja, até que você encontre um mercado que pague pela sua solução, o CAC pode ser mais alto. Assim, podemos dizer que quanto mais alto o CAC mais caro é o custo para conquistar um cliente.

 

E como calcular o CAC?

 

É muito simples! Para saber o quanto você está gastando com o CAC faça o cálculo a seguir:

 

CAC = Custo total de vendas e marketing / Número de novos clientes. 

 

Como investimentos em vendas e marketing entende-se: custos estruturais relativos a prospecção (que vão desde investimentos em publicidade, SEO, ADs, etc.) e os custos com promoções diretas.

Exemplo: se você gastou R$5.000 em vendas e R$5.000 em marketing (total R$10.000) e adquiriu 50 clientes seu CAC foi de R$200. Você pode de basear em uma média do CAC no seu mercado ou compará-lo aos números anteriores (histórico) para ter um comparativo, no entanto, é importante ressaltar que analisando isoladamente apenas esse resultado, não é possível chegar a uma conclusão. 

O mais indicado é que você compare o CAC com outra métrica: o LTV (Lifetime Value).

 

CAC x LTV

 

LTV (Lifetime Value) ou Valor do Tempo de Vida do Cliente, ou em outras palavras valor que estima a potencial receita e lucros que um cliente pode vir a dar a sua startup. Esse é o montante de dinheiro que o cliente deixa na sua empresa do primeiro ao último dia.

O cálculo do LTV leva em consideração o valor e a recorrência das compras durante determinado período, como demonstrado a seguir:

 

LTV = Receita Média do Cliente * Número de Vendas para esse Cliente

 

Exemplo: caso o cliente x gaste em média R$100 por mês em sua startup, durante um período de 12 meses seu LTV é igual a R$1.200. O ideal é que você estabeleça uma meta para o LTV 3x ou 4x superior ao CAC.

Mantendo os valores finais do CAC e do LTV utilizados nos exemplos, R$200 e R$1.200, respectivamente, podemos dizer que a proporção CAC x LTV é excelente. Para realizar este cálculo você deve fazer:

 

Proporção CAC: LTV = LTV / CAC

 

O resultado deste cálculo precisa ser sempre maior que 1, lembrando que quanto maior MELHOR, já que essa proporção fará com que o ciclo de vida da sua startup seja maior também – trazendo maior rentabilidade por mais tempo. Caso a proporção seja igual ou menor a 1 significa que você está “pagando para ter clientes” que não estão trazendo o retorno que você precisava, ou seja, está gastando mais do que deveria em um mercado errado.

 

Como reduzir o CAC e aumentar o LTV?

 

Startup Sorocaba; Como reduzir o CAC e aumentar o LTV da sua startup?

 

Como você já deve ter percebido, o ideal é sempre que possível reduzir o CAC e aumentar o LTV e para isso você pode seguir essas 5 dicas: 

 

  1. Encontre o Product Market/Fit (PMF) e o canal ideal: PMF essa palavra é responsável por resultados mágicos na sua startup. Sim, leva-se um tempo para encontrar o Product Market/Fit, mas uma vez que você também encontrou o canal ideal é preciso fazer da sua oferta ou da sua proposta de valor algo realmente irresistível!
  2. Diversifique os canais: depois de encontrar o product market/fit e de chegar a elasticidade do canal (se você não sabe o que isso significa leia este post) você deve explorar canais alternativos – preferencialmente ainda não descoberto pelos seus concorrentes.
  3. Tenha produtos e atendimento excelentes: isso fará com que os atuais clientes se sintam satisfeitos e façam propaganda gratuita, se tornando vendedores da sua startup, além de contribuir para a redução do churn. O boca boca ou buzz marketing funciona muito bem, mas até lá você deve se dedicar a conquistar de fato os clientes.
  4. Tenha estratégias de retenção: trazer e convencer novos clientes é sempre mais caro do que reter aqueles que já conhecem sua startup e seus produtos. É preciso pensar em estratégias para prolongar a permanência dos seus clientes, seja estendendo a recorrência da compra, dando algum tipo de bônus, etc.
  5. Venda mais para os mesmos clientes: fidelizar o cliente não basta. Aumente sua participação na carteira dos seus clientes (share of wallet) e seu tícket-médio de vendas, vendendo mais para eles, a partir de cros-selling, up-selling. Acredite: se você não fizer isso, seu concorrente fará e você certamente estará perdendo vendas.

 

Ah… mais uma dica super importante! Se você ainda não leu, super recomendamos a leitura do post sobre métricas.

Boas vendas!


E você, o que pensa sobre o assunto? Gostou do artigo? Compartilhe conosco sua opinião. Não gostou? Acha que podemos melhorar? Então nos ajude a aprimorar nosso trabalho.

Siga o Startup Sorocaba no Facebook e cadastre-se para receber nossa newsletter e para ser informado sobre todas as novidades.

Compartilhe:

 

Startups não são como roupas de tamanho único!

 

E acredite, não mesmo! Mas infelizmente é bem comum vermos startups que querem empurrar suas soluções (ditas inovações) para o mercado, sem ao menos se preocupar com as necessidades daqueles que vão atender. O maior esforço é para que o produto “sirva” para aquele grupo de pessoas – e não como o desejado que é o de fazer uma “peça” sob medida, produzir conforme a demanda e essa prática tem levado muitas startups ao fracasso rapidamente.

 

A roupa (produto) na medida certa

 

Startup Sorocaba:

Startup Sorocaba:

 

Ao desenvolver um novo produto ou serviço sua startup deve antes de tudo buscar informações sobre o mercado e as pessoas que deseja atender. Antes de criar uma solução é preciso saber se existe um problema, e é aí que a maioria das startups falha.  Sem essa informação, muitas vezes os empreendedores criam os famosos produtos “tamanho único” e esperam que a solução sirva para todos os mercado e para todos os tipos de pessoas (e será que existe mesmo algum produto capaz de ser unânime neste sentido? Eu sinceramente desconheço…).

Ao produzir o produto único, além de não contar com nenhum diferencial competitivo a startup certamente estará dando um tiro no próprio pé, visto que as pessoas buscam por soluções que atendam sua dor, que corresponda a sua necessidade e não algo genérico, padrão.

 

Como criar o produto ideal para seu mercado?

 

Startup Sorocaba:

Startup Sorocaba: como criar o produto ideal para seu mercado?

 

Portanto, a questão central aqui é compreender as necessidades do seu público-alvo. Então o segredo é… OUVIR OS CLIENTES. Pois é… somente ouvindo os clientes é que sua startup será capaz de criar a solução mais próxima daquilo que ele necessita ou deseja. Novidades até aqui? Nenhuma, mas por incrível que pareça muitas empresas ainda desprezam a opinião dos clientes, não validam o problema (e muito menos a solução), não dão voz para aqueles que de fato poderão contribuir para a melhoria do produto e crescimento da empresa.

É por isso que, embora óbvio, se fala tanto em cumprir a promessa do foco no cliente, de inovações centradas no usuário. Ainda não entendeu o que queremos dizer? Então imagine um alfaiate, que faz peças sob medida. O resultado deste processo em termos de produto é bem diferente do “tamanho único”, concorda? É isso! 

Assim, é preciso ter cuidado para não cair no erro de querer ser tudo para todos e acabar não sendo nada para ninguém. Os consumidores estão cada vez mais ávidos por novidades, por produtos que sejam desenvolvidos e pensados para eles – nem que para isso tenham que desembolsar mais.

Então separe a fita métrica, tesoura, linhas e agulhas e mãos à obra!

Ah, e aproveite para ler também nosso último post sobre o Job to Be Done e também o post que fala sobre o produto perfeito.


E você, o que pensa sobre o assunto? Gostou do artigo? Compartilhe conosco sua opinião. Não gostou? Acha que podemos melhorar? Então nos ajude a aprimorar nosso trabalho.

Siga o Startup Sorocaba no Facebook e cadastre-se para receber nossa newsletter e para ser informado sobre todas as novidades.

Compartilhe:

Recentemente estivemos em um workshop exclusivo para managers da comunidade do Google Business Group (GBG), representando a comunidade do GBG Sorocaba, no escritório do Google em São Paulo, onde pudemos aprender um pouco mais sobre as técnicas de Growth Hacking, com Marcelo Pimenta.

Mas antes de falar sobre as técnicas que são indispensáveis para que você acelere o crescimento da sua startup (afinal, quem não deseja isso?), vamos a introdução do conceito, assim ficará mais fácil.

 

O que é Growth Hacking?

 

O termo growth hacking foi criado por Sean Ellis em 2010. Sean é o empreendedor responsável pelo crescimento de diversas startups, fazendo com que muitas tivessem inclusive crescimento recorde. Podemos fazer referência a ele como sinônimo de crescimento de usuários (e porque não, um dos primeiros queiridinhos do Vale do Silício, rs).

O growth hacking utiliza os principais recursos de uma startup como meio para alavancar o número de usuários. A exemplo disso temos a criatividade, agilidade, conhecimento e experimentação tecnológica. A mesma técnica pode e deve ser aplicada a negócios de qualquer porte, no entanto, se as empresas mais beneficiadas são aquelas que possuem processos lean, ou seja, que são ajustáveis rapidamente o que permite em termos gerais a otimização do tempo e de todos os demais recursos como o financeiro.

Então será que você é um growth hacker e ainda não percebeu?

 

O que é Growth Hacker? Você é um?

 

Atenção: vale iniciarmos esse post dizendo que felizmente existem hackers que utilizam seu tempo para adquirir conhecimento sobre determinado assunto (os demais indivíduos que utilizam o mesmo tempo para práticas criminosas são os crackers).

O termo amplamente explorado em outros celeiros tecnológicos agora começa a ganhar destaque e força aqui no Brasil também, trazendo a tona também um novo profissional: o growth hacker. Em poucas palavras podemos dizer que o Growth Hacker é aquele profissional que alavanca as métricas e as conversões de uma empresa.

startup-sorocaba-growth-hacking-users-for-social-networks

Startup Sorocaba: técnicas de growth hacking garantem mais usuários em menor tempo

 

Mas esse não é o papel esperado de um profissional de marketing ou de vendas?

Também. Mas hoje podemos dizer que cabe ao responsável pelo growth hacking integrar áreas como marketing, Vendas, Desenvolvimento de Produtos, Business Intelligence (BI) e Tecnologia. Se utilizadas isoladamente essas áreas também proporcionarão resultados à sua empresa ou startup, no entanto, podem ser combinadas potencializando suas ações e consequentemente as conversões. Logo estamos falando de aumento nas vendas e em escalabilidade e de um “cara” com as habilidades necessárias para fazer crescer sua startup de forma rápida e muito mais econômica.

O Growth Hacker é necessariamente um profissional curioso e analítico, portanto, se você tem mais de uma ferramenta analítica e é aficcionado(a) por métricas, você pode ser um deles. Além das famosas estratégias de marketing, sempre voltadas para o crescimento e/ou alavancagem dos negócios, o Growth Hacker busca e aposta em novas maneiras de aproveitar a facilidade da realidade online, do compartilhamento e de todos os demais benefícios dos meios digitais. 

 

growth-hacking-startup-sorocaba

Startup Sorocaba: você sabe o que é Growth Hacking?

 

Mas onde está a mágica?

Através do growth hacking a experiência do consumidor é elevada a outros níveis, quase sempre sendo marcada por escalas virais – o que reduz o custo por aquisição e aumenta seu valor ao longo do tempo diferente dos canais tradicionais de marketing.

Assim, podemos dizer que um Growth Hacker busca compreender o comportamento online do consumidor e utiliza esse conhecimento juntamente com outras técnicas para impulsionar as vendas. 

 

Acelere o Crescimento da Sua Startup

 

Uma das perguntas mais importantes que um Growth Hacker deve fazer é: qual o impacto disso para o nosso crescimento? Se avaliarmos bem essa é uma pergunta que realmente faz sentido, porque engloba a startup peer-to-peer: desde os custos para produção até o CAC (custo de aquisição de clientes). 

Ao contrário do que muitos pensam, muitas vezes não é necessário reinventar a roda (antes de sair por aí investindo loucamente em ADs leia até o fim este post). Para ter um growth hacking efetivo é necessário mudar primeiro o nosso mindset, pensar em novas maneiras para escalar a startup aproveitando os dados que provavelmente você já tem disponível sobre o comportamento do usuário (através do Google Analytics, por exemplo). Para aumentar as vendas só há duas maneiras: ou reduzir o preço ou aumentar o número de usuários – o que nos parece uma decisão mais acertada.

 

As 5 principais ferramentas utilizadas no Growth Hacking

 

Muitas são as técnicas para acelerar o crescimento da sua startup, mas selecionamos 5 ferramentas mais utilizadas e que poderão ajudá-lo a começar. Vamos nessa?

 

  • Aquisições Virais: Através do compartilhamento de conteúdo dos usuários existentes para os novos usuários, com crescimento exponencial. Como o compartilhamento é espontâneo o conteúdo deve ser altamente relevante e atrativo. Se liga nessa dica: caso você utilize o WordPress como plataforma para o seu site pode utilizar plugins como o Social Locker
  • Aquisições pagas: Com estratégias de SEM (Search Engine Marketing), Links patrocinados (Google Adwords, Facebook Ads), anúncios na TV, celulares, rádios, marketing de afiliados, remarketing ou retarketing, etc. você pode fazer aumentar suas métricas de conversão sejam elas associadas ao aumento do número de seguidores, de leads ou das vendas propriamente ditas.
  • Marketing de Conteúdo (Content Marketing): Através de posts em blogs, infográficos e vídeos virais, e-books, produtos digitais informativos, etc. que aumentem a visibilidade da sua startup ou produto/serviço e o tráfego para o seu site, nutrindo o funil de vendas, ou seja, convertendo um visitante (lead) em um prospect e finalmente em um consumidor. Caso você não seja um expert na área pode optar pelos serviços de outras startups como a Rock Content e Contentools.
  • E-mail Marketing: Estratégia de relacionamento muito utilizada para a conversão de novos consumidores Além disso, essa ferramenta pode ser utilizada também para motivar as pessoas a conhecer e a comprar mais do seu produto ou serviço. 
  • SEO (Search Engine Optimization): melhorar o ranquamento do seu site ou blog nos mecanismos de busca é uma das técnicas de growth hacking mais efetivas. É claro que somente isso não é suficiente, mas trabalhar com o SEO faz toda diferença e você notará quando passar a ser encontrado com mais facilidade, aumentando assim suas chances de conversão, afinal, na internet quem não é visto não pode ser lembrado mesmo…

 

Growth Hackers que você não pode deixar de conhecer e seguir

 

É sempre bom ter referências para se inspirar e por esse motivo selecionamos também alguns perfis de growth hackers que você não pode deixar de conhecer (e seguir):

 

Se você gostou do tema e quer saber mais sobre como acelerar o crescimento da sua startup, não deixe de acompanhar os próximos posts do Startup Sorocaba e a agenda de eventos do GBG Sorocaba com foco em growth hacking.


E você, o que pensa sobre o assunto? Gostou do artigo? Compartilhe conosco sua opinião. Não gostou? Acha que podemos melhorar? Então nos ajude a aprimorar nosso trabalho.

Siga o Startup Sorocaba no Facebook e cadastre-se para receber nossa newsletter e para ser informado sobre todas as novidades.

Compartilhe:

Diariamente recebemos mensagens dos nossos seguidores, com dúvidas comuns sobre o QUE validar e COMO validar uma ideia e/ou fazer um teste de mercado instantâneo e que traga as respostas rápidas a um baixo custo.

Reunimos a seguir algumas dicas de vários autores e 7 passos para um teste de mercado instantâneo, essenciais para a definição da sua estratégia de lançamento. Ready? Let’s go!

 

7 passos infalíveis para um teste de mercado instantâneo

 

7 passos infalíveis para um teste de mercado instantâneo

Startup Sorocaba: 7 passos infalíveis para um teste de mercado instantâneo

 

 

  1. Você precisa se interessar pelo problema que pretende resolver (e deve haver um número considerável de pessoas que também se interessam): sempre mantenha em mente a questão da convergência, ou seja, como a sua ideia coincide com o que as pessoas valorizam. 
  2. Certifique-se de que o mercado é grande o suficiente: teste o tamanho do mercado verificando o número e a relevância das palavras-chave no Google Adwords (Keyword Planner). Pense nas palavras-chave que as pessoas usariam para encontrar uma solução para o problema que você está propondo resolver. Se você estivesse procurando o seu produto na internet, sem saber da existência dele, que palavras-chave buscaria? Preste atenção às partes superiores e à direita das páginas de resultados nos buscadores, onde os resultados são exibidos. Outra dica muito interessante é utilizar o Ubbersugest, através dessa ferramenta você poderá definir algumas frases que exploram a cauda longa da palavra pesquisada e é uma importante fonte de insights para conteúdos que poderão otimizar a busca do seu site.
  3. Concentre-se na eliminação da dor: seu produto precisa solucionar um problema que causa uma dor que o mercado sabe que tem, afinal é muito mais fácil vender para alguém que sabe que tem aquele problema, do que convencer alguém de que ele tem um problema que precisa ser solucionado. 
  4. Deixe claro como você irá solucionar essa dor: quase tudo o que é vendido se volta a uma profunda dor ou um desejo (consciente ou inconsciente). Por exemplo as pessoas comprar artigos de luxo para serem respeitadas por seu status, mas em um nível mais profundo o que elas buscam na verdade é ser amadas e essa é apenas uma maneira de chamar a atenção para isso. Assim, sua startup precisa mostrar às pessoas claramente de que maneira poderá ajudá-las a conseguir o que elas desejam, ou seja, a reduzir suas dores ou extingui-las ou a alcançar seus objetivos. 
  5. Pense sempre na solução: certifique-se de que a sua solução é diferente e melhor do que as que possivelmente já existam e que atendam a(s) mesma(s) necessidade(s) desse mercado. Lembre-se: a sua oferta não precisa ser a mais barata. Competir por preço, ainda mais em uma fase inicial, pode comprometer os resultados financeiros da sus startup e reduzir as suas chances de sucesso. Mas ser diferente ainda não é tudo. É preciso fazer com que as pessoas entendam que você tem de fato a MELHOR solução, então dedique uma atenção especial ao posicionamento da marca da sua startup e do seu produto no mercado. 
  6. Liste todas as hipóteses que deseja validar (desde a validação do problema até as funcionalidades do seu produto) e consulte as pessoas certas: valide a sua ideia com quem realmente interessa, ou seja, certifique-se antes de tudo de que as pessoas que você irá consultar fazem parte do seu mercado alvo potencial. As demais pessoas podem fazer com que você chegue a conclusões errôneas e/ou não fornecer informações tão relevantes para a sua startup. Cuidado com os dados tendenciosos ou com o excesso de informação irrelevante e sem valor! Agora se você identificar pessoas com perfil similar a persona que você desenhou não perca tempo!
  7. Crie um protótipo (o famoso MVP): elabore ou esboce o seu produto mínimo viável e mostre para as pessoas já interessadas ou que poderiam ter interesse pela sua solução. Peça que elas testem de graça em troca de feedback e sigilo. Ofereça a elas algum bônus para que além de se sentirem parte do desenvolvimento de algo maior ainda tenham algum benefício por terem sido os primeiros a utilizar a sua solução. 

 

Startup Sorocaba: Faça sua ideia decolar!

Startup Sorocaba: Faça sua ideia decolar!

 

 

Mas e se a minha ideia for invalidada?

 

Essa também é uma dúvida que faz com que muitos empreendedores percam o sono… Então, o que fazer se a sua ideia for invalidada?

Todo produto (experimento) deve ser iterado até que encontre o seu product market/fit. Dificilmente você encontrará uma startup que tenha conseguido sucesso com a sua primeira ideia, ou seja, que não tenha feito nenhuma mudança em sua ideia inicial (se ainda não leu o post 10 startups que pivotaram e deram certo, aproveite para ver os exemplos).

startup-sorocaba-loop-feedack-lean-startup

Startup Sorocaba: O ciclo construir-medir-aprender do Lean Startup

 

Anote todos os feedbacks recebido ao longo do processo. Eles certamente revelarão insights valiosíssimos que você obterá de forma espontânea e barata.

Faça o exercício. Teste sua ideia e seu mercado. Otimize seu tempo e seus recursos. Pense em utilidade e não necessariamente em inovação (quer saber mais sobre essa indagação? Então leia o post Acredite: você esteve errado até hoje). 

 


 

E você, o que pensa sobre o assunto? Gostou do artigo? Compartilhe conosco sua opinião. Não gostou? Acha que podemos melhorar? Então nos ajude a aprimorar nosso trabalho.

Siga o Startup Sorocaba no Facebook e cadastre-se para receber nossa newsletter e para ser informado sobre todas as novidades.

Compartilhe:

Atendendo a vários pedidos dos nossos seguidores, em parceria inédita com a Pixel Azul, startup sorocabana, o Startup Sorocaba irá lançar uma série de cursos presenciais e online sobre startups, qualidade de software, empreendedorismo, etc.

Os cursos vão desde o estágio inicial da concepção de uma ideia até o passo a passo para os testes de software e outros conceitos essenciais para a criação e desenvolvimento de uma startup.

Os planos futuros reservam ainda workshops presenciais com vários convidados,  referências em suas áreas para compartilhar suas experiências.

Cadastre-se para receber nossa newsletter e não perca nenhuma novidade!

 

Como fazer a primeira venda da sua startup

 

Startup-Sorocaba-lanca-cursos-em-parceria-inedita

Startup Sorocaba: Quer saber como fazer a primeira venda da sua startup? Então, não perca tempo!

 

Sabemos que os desafios fazem parte do dia a dia de uma startup e isso não é mais nenhuma novidade, não é mesmo? Provavelmente você também já se viu frente a situação de ter que fazer a primeira venda do seu produto ou serviço e descobriu que nem sempre é tão fácil quanto parece ser. Embora o seu mercado e a sua solução já estejam validados – como se espera de uma startup nesta fase – encontrar compradores ou potenciais compradores, ou seja, usuários pagantes pode demorar muito mais tempo do que você imaginou. Então, como reduzir esse tempo e fazer com que as pessoas desejem seu produto? Essas e muitas outras dicas serão respondidas no primeiro curso que estamos lançando.

No curso “Como fazer a primeira venda da sua startup” você aprenderá:

  • Estratégias de Go to Market;
  • Como lançar a sua ideia para o mercado;
  • Como oferecer aquilo que as pessoas querem comprar;
  • Como utilizar os gatilhos mentais;
  • Como fechar vendas automaticamente;
  • Como antecipar a demanda.

 

Não perca tempo! Já estamos com vagas abertas para a primeira turma de Outubro. Garanta a sua vaga! Vagas limitadas! Depois não adianta dizer que não sabia…

 

inscreva-se-agora-startup-sorocaba-startup-weekend-women-sao-paulo

 

Sobre a Pixel Azul

 

Startup-Sorocaba-Pixel-Azul-Cursos

 

Os processos de ensino tradicionais já não se encaixam na realidade daqueles que precisam se preparar o quanto antes para atender às demandas do mundo contemporâneo. Hoje, a forma de ensinar e aprender se desvinculou do modelo tradicional, as relações e o acesso ao conhecimento acontecem de maneira diferente. Movidos pela certeza de que a educação de qualidade é a base para transformar pessoas, pensamos qual seria a maneira mais simples e intuitiva de tornar essa ideia acessível a todos.

Assim nasceu a PixelAzul que foi cuidadosamente desenvolvida em um processo que levou três anos e agora está pronta para ser o meio pelo qual aqueles que têm algo a ensinar e aqueles que querem aprender se comunicarem de maneira simples, clara e efetiva. Somos um portal de educação, software de gestão de ativos intelectuais e acompanhamento educacional através de gamification, imersão e recompensas. Nosso propósito é democratizar a educação no Brasil e no mundo. Descobrimos uma maneira de revolucionar o ensino e vamos mostrar como.

Conheça todos os outros cursos da Pixel Azul acessando aqui.

Tem algum curso que você gostaria de ver por aqui? Está em busca de parceiros para desenvolver o seu curso? Fale conosco!


E você, o que pensa sobre o assunto? Gostou do artigo? Compartilhe conosco sua opinião. Não gostou? Acha que podemos melhorar? Então nos ajude a aprimorar nosso trabalho.

Siga o Startup Sorocaba no Facebook e cadastre-se para receber nossa newsletter e para ser informado sobre todas as novidades.

Compartilhe: