Se você tem um emprego formal e já pensou em empreender alguma vez na sua vida, provavelmente o seguinte pensamento já passou pela sua cabeça: “preciso de dinheiro para abrir meu negócio, mas, se largar meu emprego, como conseguirei dinheiro para alavancar meu negócio?”.

E aí, o que fazer?

Você faz as contas e sabe, lá no fundo, que se tivesse colocando a mesma energia que deveria por põe no seu emprego atual no seu próprio negócio, provavelmente estaria fazendo mais dinheiro do que faz agora. Além disso, começa a sonhar com você no comando, fazendo escolhas, trabalhando com o que gosta e, mesmo que não goste muito de lembrar daquela parte das tarefas que não são legais, mas são necessárias, tudo parece valer muito à pena. Até que…

… Você se lembra de que para empreender é preciso ter dinheiro! Em alguns casos um pouco é o suficiente, em outros preciso um alto investimento, mas, de qualquer forma, dinheiro é necessário.

O pessoal do Netflix não quer saber se você está empreendendo e precisa de um prazo maior para pagar sua assinatura mensal, se não pagar, bye bye seriados, seu serviço será interrompido. Assim como o consumo de todas as outras coisas que você precisa para viver, como alimentação e transporte, por exemplo. Então, se você não tem ninguém para bancar suas contas pessoais enquanto empreende, é preciso fazer ou continuar fazendo algo para que o dinheiro continue entrando e você consiga se manter (pelo menos com o mínimo necessário) até o seu negócio decolar.

Então se eu pudesse te dar um único conselho sobre o que fazer neste caso, se não tem uma quantia de dinheiro reservada para esta nova fase da sua vida é: não largue seu emprego.

Por que não?

Eu sei que quando se tem o sonho de empreender, a vontade é que tudo aconteça no menor tempo possível, mas, uma coisa é certa, nem tudo acontece no tempo que desejamos.

Digo por experiência própria. Há alguns anos eu larguei tudo para empreender, sem qualquer planejamento, sem qualquer reserva de dinheiro. Oito meses depois precisei procurar um emprego e, é claro, acabei ficando super frustrada. Tive que, literalmente, largar meu projeto pela metade e boa parte do trabalho que produzi durante o tempo que havia me dedicado apenas ao meu negócio, acabou indo por água abaixo.

Sim, esta é uma experiência pessoal, mas estou usando como exemplo para que você não caia na mesma cilada que eu. É claro que ninguém está livre de falhar, mas se puder aprender mais rápido a partir do conhecimento que eu adquiri com os meus erros e que estou compartilhando com você agora, melhor.

Já está claro que chutar o pau da barraca, largar tudo e começar empreender pode não ser o melhor caminho, pelo menos no começo. Mas a grande resposta que você pode estar procurando neste texto é “Como fazer então?”, estou certa?

Aqui vão algumas dicas do que funcionou para mim, para pessoas que conheço e que pode funcionar para você também empreender sem largar o emprego.

1. Saiba o quanto você precisa ganhar por mês para se manter

Você sabia que a maioria das pessoas não sabe exatamente quanto dinheiro precisam para se manter? Se você faz parte desse grupo, sugiro que coloque suas contas no papel agora mesmo. Comece pelos itens essenciais e calcule qual é o mínimo necessário para poder suprir suas necessidades básicas. Depois insira os supérfluos, sabendo que sua vida pode sofrer um ajuste quando começar a empreender.

2. Seja realista

Não se enganar é primordial neste processo. Reflita sobre o que você consegue fazer enquanto está empregado, quanto tempo tem disponível para se dedicar ao seu nevo negócio e se você, de fato, está disposto a trocar uma hora de lazer por mais trabalho, por exemplo. Além disso, tenha uma boa noção de quais compromissos relacionados à sua empresa você conseguirá cumprir. Por exemplo, se você trabalha em um escritório em horário comercial e a empresa não permite horários flexíveis, provavelmente terá dificuldades para marcar reunião durante o dia com seus futuros clientes. Neste caso, avalie se estas pessoas estão dispostas a te atender depois do horário, no horário do almoço e assim por diante.

A grande questão aqui é: Até onde está disposto a ir para ter seu próprio negócio?

3. Procure outras opções de renda

O ponto da virada para mim foi encontrar outra forma de ganhar uma quantia de dinheiro fixa mensalmente sem que precisasse trabalhar num escritório em período integral. Pouco tempo depois que fui contratada novamente, percebi que a minha vontade era mesmo empreender e que não conseguiria sobreviver por muito mais tempo trancada das 8h às 18h (ou mais, muito mais…) num escritório. Comecei a procurar outros tipos de trabalho que me permitissem trabalhar meio período, fazer home office (nem que fossem alguns dias na semana), conseguir alguns clientes fixos para oferecer consultoria na minha área de atuação e assim foi. Na época precisei mudar de emprego para outro no qual eu trabalharia 3X por semana no escritório, nos outros 2 dias eu só seria acionada em caso de emergência. E, nesses 2 dias eu aproveitava para acelerar o meu negócio.

4. Foque na sua ideia

Nesse ponto é preciso estar bem certo do que deseja para sua vida profissional. Ter várias ideias até que é fácil, a parte mais difícil é fazer com que elas saiam do papel e aconteçam. Levando em consideração que você tem um emprego e tem pouco tempo disponível para fazer todas as outras atividades, entre elas cuidar do seu novo negócio, é preciso que, no momento que escolher se dedicar a ele, você esteja completamente focado na sua ideia para executar suas atividades, ao invés de sempre mantê-las no campo do pensamento.

5.Ganhe novas conexões

Este pode ser um bom momento para construir conexões que você pode usar mais tarde no seu negócio (desde que você não esteja violando nenhum código de conduta, ok?). Conheça o maior número de pessoas possível, afinal de contas, você nunca sabe quando ou onde você vai encontrar um parceiro em potencial, fornecedor, cliente ou funcionário. Quanto maior o seu leque de contatos profissionais mais opções terá quando chegar a hora do seu negócio crescer.

6. Comece com pequenos passos

Não tente fazer tudo no seu negócio enquanto estiver trabalhando full-time e nem acelerar o processo. Planeje muito bem as suas ações e dê passos pequenos em direção ao seu objetivo final. Entenda que, por menor que for o passo dado, você já não estará mais no mesmo lugar.

Teste hipóteses. Experimente. Se suas atividades acabarem sendo muito intensas, pode acabar perdendo o controle e o seu negócio pode acabar tomando seu tempo além da conta. Empreender não significa deixar de fazer as coisas que gosta, como ficar com a sua família no almoço de domingo, muito menos as obrigações, como continuar dando resultados no seu emprego.

7. Vá com calma

Quando começamos a empreender, temos uma vontade louca de que tudo dê certo logo. No entanto, se não buscar controlar esta ânsia para acelerar o processo, pode colocar muita coisa em risco, inclusive seu emprego, fazendo com que caia novamente no ciclo inicial (“Preciso de dinheiro para abrir meu negócio, mas, se largar meu emprego, como conseguirei dinheiro para alavancar meu negócio?”). A questão aqui é refletirmos sobre limites. Se você se dedicar de mais a assuntos relacionados ao novo negócio, pode ser que o seu rendimento no trabalho caia, colocando em risco sua carreira. E perder o emprego neste estágio pode ser bem perigoso. Você não só estará lutando para que seu negócio decole, como também para ter dinheiro para viver e, acredite em mim, essas duas preocupações ao mesmo tempo não são nada agradáveis. Mesmo que seja muito capaz de superar obstáculos, pode ser que isto acabe te desmotivando ou fazendo com que pule etapas importantes no seu negócio.

Então, nada de desespero. Antes de tudo procure entender quais são suas necessidades e suas motivações. Lembre-se não existe tempo certo para começar um negócio, se estiver esperando o momento ideal, pode ser que ele nunca chegue e, por isso, às vezes melhor maneira é se atirar para alguma coisa, abraçar nossa ideia com vontade e fazer os ajustes necessários ao longo do caminho.

Você também pode gostar de ler:

Como mudar de carreira e viver do próprio negócio

A hora certa de largar o emprego para abrir uma empresa

Compartilhe: