Saiba como foi nossa participação na Campus Party Brasil 10 – CPBR10

 

A 10ª da Campus Party que ocorreu no período de 31/janeiro a 05/fevereiro, em São Paulo já deixou saudades… além de ser uma edição histórica e comemorativa, esse ano a Campus Party Brasil foi marcada pela presença de vários membros da nossa comunidade e também foi particularmente especial para nós, porque pudemos levar um pouco do nosso aprendizado e conhecimento gerados a partir da criação de um ecossistema empreendedor.

 

Startup Sorocaba: Douglas Garcia, campuseiro representando a FACENS e o Centro de Empreendededorismo Facens

 

Startup Sorocaba: startup #MadeinSorocaba – Birmind startup B2B com foco na indústria, expondo suas soluções no Startup & Maers

 

Startup Sorocaba: startup #MadeinSorocaba – Movme trazendo uma solução inovadora para a mobilidade urbana

 

Startup Sorocaba: Do interiorrrrrr para o palco da Campus Party

 

Do interiorrrrr para o Palco Empreendedorismo na Campus Party

 

No painel “Criando ecossistemas empreendedores – desafios e oportunidades”, nós Danielle Vieira e Nathália Novaes, fundadoras do Startup Sorocaba e Rodrigo Mendes Diretor de Inovação da Agência Inova Sorocaba, a convite da organização tivemos a oportunidade de falar sobre nossa experiência prática, ao fomentar a criação e desenvolvimento de um ecossistema em Sorocaba & Região.

 

Startup Sorocaba: Painel – Criando ecossistemas empreendedores – desafios e oportunidades. Créditos da foto: Campus Party Brasil

 

Startup Sorocaba: Falando sobre o ecossistema de startups de Sorocaba & Região. Créditos da foto: Campus Party Brasil

 

Sempre trazemos a referência da “Força do Interior“, dando representatividade e voz para a inovação, startups e todo o talento criativo e empreendedor que temos em nossa região – e tudo mais que existe de excelente e potencial fora do eixo SP-RJ-MG. Mas por quê?

Podemos relacionar uma lista enorme de motivos… mas vamos para os três principais:

 

  • “Nossa grama também pode ser igual ou tão mais verde que a do nosso vizinho”: e se ainda não é, é preciso fazer um esforço legítimo para entender quais são as principais necessidades de ainda não ser. Precisamos aprender a valorizar o que temos de melhor e trabalhar para melhorar o que precisa ser melhorado, sempre. Só podemos gerar mudança, se nos dispusermos a ser e fazê-la – como tem que ser feito.
  • Existe um Brasil que você ainda não conhece: existem muitas oportunidades fora dos grandes centros e se essas oportunidades ainda não existem, é preciso criar um ambiente mais próspero, que estimule e favoreça empreendedorismo e a geração de novas oportunidades.  Se os novos talentos se formam e vão para as capitais em busca de emprego o que fazer para retê-los? Se as startups só encontram suporte fora da sua cidade o que fazer para que elas permaneçam e gerem valor em toda cadeia?
  • O próximo Silicon Valley não será o Silicon Valley: sim, certamente eu, você e mais uma multidão ao redor do mundo temos como referência de hub de inovação, tendências tecnológicas, pólo empreendedor o Vale do Silício, mas aqui vale uma ressalva muito importante. Acredite! Plagiar um ecossistema pode ser catastrófico! Todo ecossistema é regulado por fatores variáveis como cultura, densidade, ambiente regulatório, economia, e etc, etc. e etc. O ecossistema de Sorocaba só amadureceu quando aprendeu a respeitar suas particularidades e deixou de querer ser o próximo Silicon Valley! Independente do que formos um dia (se Sorocaba Valley ou não), o mais importante é gerar resultados para todos do ecossistema. 

 

Mas afinal, o que é um ecossistema de startups?

 

Em resumo podemos dizer que é um ambiente onde as interações entre os seres e  o valor gerado entre eles são potencializados, primeiro dentro do próprio ambiente e, depois, extrapola fronteiras. 

Como citado pelo Rodrigo durante o painel “para aumentar as chances de criação de novas startups e seu sucesso, temos que garantir um ambiente que estimule esse crescimento“. Outra importante colocação refere-se a Victor W. Hwang, investidor de startups do Vale do Silício e co-autor do livro “The Rainforest: the secret to building the new Silicon Valley”, que compara o ecossistema de startups a uma floresta tropical – embora a flora exótica e endêmica produza riquezas não vistas em nenhum outro lugar do mundo, tais plantas jamais floresceriam sem toda a floresta, seu ecossistema e condições climáticas.

 

E quais são os Desafios e Oportunidades na criação de um ecossistema?

 

Desafios

 

Nathália Novaes, lembrou dos desafios de começar esse “trabalho de formiguinha”, reforçando que muitas vezes mesmo sem qualquer apoio institucional, é preciso de acreditar no potencial das ideias, das startups, dos empreendedores.

Outro ponto citado foi a questão da cultura e do compromisso de longo prazo. É comum acreditamos que o retorno de todo esforço de fomento vem rápido. Que logo vamos ver sair dali ou daqui unicórnios, que as startups serão vendidas por bilhões, que veremos nascer em nossas universidades o próximo Facebook. Pode até ser, mas isso leva tempo e um dos maiores desafios é o estabelecimento de uma cultura que faça com que isso aconteça. Ter uma startup ou dizer que é empreendedor é algo cool, mas é necessário algo além disso. É preciso pensar grande, deixar um legado e um ambiente propício para as próximas gerações.

 

Oportunidades

 

Os ganhos ao se desenvolver um ecossistema são muitos. Todos ganham com o empreendedorismo. As pessoas, a economia, a inovação e em dado momento esse impacto também se pode ver refletido não apenas em determinada região geográfica. É quando o valor gerado passa a transbordar, passa a inspirar, ganha outras proporções.

Quando as pessoas de dispõem a resolver problemas reais, elas passam a olhar as outras pessoas, a cidade de outra forma. Deixam de ser parte do problema e passam a fazer parte da solução. Existem inovações que tem potencial para mudar o mundo, e acredite: elas precisam começar por algum lugar.

 

E quem é quem no ecossistema de startups?

 

Startups, Empreendedores, Aceleradoras, Incubadoras, Universidades e Instituições de Ensino, Mídia, Organizações de apoio, Investidores, Empresários, Grandes Empresas, Governo. Esses são apenas alguns dos grupos que podem compor e interagir um ecossistema de startups. 

Voltemos então ao exemplo da árvore. As chances de uma árvore (startup) crescer e se desenvolver em uma floresta (ecossistema) são muito maiores, se comparados com seu desenvolvimento em uma área onde o ambiente é ainda incipiente, árido, pouco fértil.

Sim, nós acreditamos no papel de cada agente dentro de um ambiente de inovação e empreendedorismo. Todos somos interdependentes e é somente juntos que vamos construir uma floresta que renderá bons frutos.

Junte-se a nós! Venha fazer parte do ecossistema de Sorocaba & Região. 


E você, o que pensa sobre o assunto? Gostou do artigo? Compartilhe conosco sua opinião. Não gostou? Acha que podemos melhorar? Então nos ajude a aprimorar nosso trabalho.

Siga o Startup Sorocaba no Facebook e cadastre-se para receber nossa newsletter e para ser informado sobre todas as novidades.
Compartilhe:

“O Startup Sorocaba (#StSo) é resultado da união um grupo de pessoas que acredita no grande potencial empreendedor da cidade de Sorocaba. O objetivo central do projeto é conectar PESSOAS e IDEIAS com o intuito de fomentar o ecossistema empreendedor na cidade, ajudando a criar e desenvolver novos negócios de alto impacto”.