Por que será que algumas pessoas e organizações são mais inovadoras, mais influentes e até mais rentáveis que outras? Por que muitas delas conseguem maior fidelidade tanto dos clientes, quanto dos seus colaboradores? Você já se fez essas perguntas?

Você sabia? Pessoas como Martin Luther King Jr., Steve Jobs e os irmãos Wright podem ter pouco em comum, mas todos começaram pelo PORQUÊ e essa capacidade natural de começarem pelo porquê os capacitou a inspirar as pessoas ao redor, de maneira a permitir com que realizassem coisas notáveis. Simon Sinek em seu livro Start with why (título traduzido no Brasil como Por Quê?: Como grandes líderes inspiram ação”) também nos ajuda a compreender essas respostas.

Começar pelo porquê vale tanto para os pequenos como para os grandes negócios, para as ideias quanto para as startups, tanto para o universo das entidades sem fins lucrativos como para a política. Quem começa pelo porquê jamais manipula, pelo contrário: I-N-S-P-I-R-A. E as pessoas os seguem não porque precisam, mas porque querem. Eis a diferença! E  se você ainda não acredita nisso é melhor rever seus conceitos.

 

O que é o Golden Circle ou Círculo Dourado?

 

Você já ouviu falar ou sabe o que é o Golden Circle ou Círculo Dourado?

Na palestra How great leaders inspire action (como grandes líderes inspiram a ação) Sinek fala sobre o modelo de liderança que faz com que pessoas e empresas exerçam sua posição de destaque. Para entender melhor, assista o vídeo abaixo: 

 

YouTube Preview Image

 

Depois de alguns anos de estudo, Sinek percebeu que todos os líderes inspiradores e organizações do mundo, pensam, agem e se comunicam da mesma forma e a partir dessa conclusão desenvolveu o que chama de Círculo Dourado (do inglês Golden Circle).

 

the-golden-circle-startup-sorocaba

Golden Circle ou círculo dourado: como grandes líderes inspiram a ação

 

Confira agora cada esfera que compõe o Golden Circle:

 

  • WHY: explica o PORQUE  você faz o que faz, qual é o significado de tudo isso, ou seja, seu(s) verdadeiro(s) propósito(s). Qual é sua causa? Porque a sua empresa existe? Porque você levanta e sai da cama todos os dias? Qual é a sua motivação?
  • HOW: diz respeito ao COMO  você faz, que também pode ser entendido como os objetivos, ou seja, as ações práticas e concretas que farão você alcançar seu(s) propósito(s). Inclui os valores e crenças que você tem. Esse também será o seu diferencial, aquilo que irá fazer você ou o seu negócio se destacaram na multidão.
  • WHAT: é o QUE você efetivamente faz ou vende. 100% das pessoas e das organizações sabem o que fazem, portanto, essa pergunta acaba sendo uma das mais fáceis a ser respondida.

 

Diferente do que se pensava antigamente, os líderes e empresas mais inspiradoras partem do centro para fora do Golden Circle e não de fora para dentro, ou seja, dos propósitos. Eles dizem primeiramente no que acreditam, ou seja, o que os faz agir e dessa forma conseguem se comunicar claramente, motivando as pessoas ao seu redor.

 

Como aplicar o Golden Circle nos negócios?

 

Da mesma forma que você como pessoa tem os seus propósitos, ao criar uma empresa ela também deve ter uma “razão de existir” (ah, e aqui vale a ressalva de que ganhar dinheiro é apenas uma consequência).

Analisemos o exemplo da Apple. Se ela fosse como todas as outras empresas, provavelmente sua principal mensagem de marketing seria algo parecido com: “Nós fazemos os melhores computadores. Eles têm um design único, têm um desempenho excelente, são simples e fáceis de usar. Quer comprar um?”. 

Na mensagem podemos identificar apenas o WHAT e como disse Simon em seu vídeo: “É assim que a maioria de nós se comunica, é assim que o marketing é feito, é assim que as vendas são feitas”.

 

Mas se a maioria das empresas se comunica assim o que há de errado nisso?

 

Dizer que a sua empresa é a melhor do mundo não é de fato tão inspirador e suficientemente capaz de levar à ação um consumidor. Quando as empresas se comunicam começando de dentro para fora, isto é, começando pelo seu porque, aquilo que fazem não funciona mais como razão da compra ou escolha e passam a servir como forma de tangibilizar a causa. O mais importante não é o QUE, mas sim o PORQUE.

Agora veja  a diferença nesse posicionamento da Apple: “Tudo o que fazemos, nós fazemos pensando em desafiar o status quo. Nós acreditamos que pensar diferente faz toda diferença (WHY)A maneira que encontramos para fazer isso foi criando nossos produtos com design único, simples e fáceis de usar (HOW). É somente dessa forma que surgem os melhores computadores do mundo (WHAT). Quer comprar um?”

E aposto que antes mesmo de terminar de ler essa mensagem você já estava com o cartão de crédito nas mãos! Sabe porque? Porque…

 

As pessoas não compram o que você faz, elas compram o porquê você faz!

 

Da mesma forma ocorre quando você contrata uma pessoa para sua empresa: 

 

O objetivo não é apenas contratar pessoas que precisão de um emprego, é contratar pessoas que acreditam no que você acredita

 

Acredite: se você contratar uma pessoa apenas porque ela diz que pode fazer determinado trabalho ela certamente irá trabalhar somente pelo dinheiro. Mas se você contratar pessoas que acreditam no que você acredita elas vão trabalhar por outras motivações – e que muitas vezes dinheiro algum paga. 

 

Então, comece com o porque!

 

Quando as empresas passam a ser reconhecidas pelos seus porquês deixam de ser ou de ter produtos commodities e por isso não precisam necessariamente se preocupar em acordar todos os dias com o desafio de se diferenciar da concorrência (diferente daquelas que se definem somente pelos “o ques”).

Comece fazendo o exercício então. Descubra o seu porque, o que sustenta o que a sua empresa oferece ao mercado (seus produtos e seus serviços) e oriente a maneira como eles serão oferecidos. Com base no propósito de marca, sua empresa se comunicará de maneira mais eficiente com o mercado. E lembre-se:

O objetivo não é fazer negócios com todo mundo que precisa do que você tem. O objetivo é fazer negócios com pessoas que acreditam no que você acredita.

 

Se você gostou do tema, recomendamos que acesse também o site de Simon Sinek.

 


E você, o que pensa sobre o assunto? Gostou do artigo? Compartilhe conosco sua opinião. Não gostou? Acha que podemos melhorar? Então nos ajude a aprimorar nosso trabalho.

Siga o Startup Sorocaba no Facebook e cadastre-se para receber nossa newsletter e para ser informado sobre todas as novidades.
Compartilhe:

Bacharel em Administração com ênfase em Marketing, especialista em Marketing (MBA em Vendas & Trade Marketing) com larga experiência, atuando no desenvolvimento de marcas, produtos e serviços, gerenciamento de projetos offline e projetos digitais. Presta consultoria na área de marketing, marketing digital e inovação, lecionando como professora convidada em cursos de graduação e MBA. Atuou como BizDev e Curadora de Projetos na Associação Brasileira de Startups (ABStartups) participando diretamente das edições do programa de acesso ao mercado Pitch Corporate (nas verticais Exportação, Educação, in-company), Pitch Gov SP, primeiro programa da América Latina em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (CASE), maior evento da América Latina neste segmento. Atualmente é Sub - Coordenadora do Comitê de Comunidades também na Associação Brasileira de Startups (ABStartups). Sócia da 4 Legacy Ventures, fundadora do Startup Sorocaba e empreendedora digital, já criou inúmeros projetos digitais e contribuiu para o desenvolvimento de outros, tendo sido também parte da equipe de algumas startups. É uma das organizadoras do Google Business Group Sorocaba, atuando diretamente como manager do Google Business Group Women, além de embaixadora de alguns projetos nacionais e internacionais na área de empreendedorismo e tecnologia (como o Technovation Challenge). Já desenvolveu atividades na Campus Party 2015, ministrou palestras e cursos sobre empreendedorismo, empreendedorismo digital e startups. Foi curadora da arena “Tech4Teens” na Virada Empreendedora 2016, mentora convidada do Comitê Acelera da FIESP, Inovativa e de programas voltados para startups onde também já integrou bancas de jurados, avaliando projetos inovadores. É Community Manager da Techstars (uma das maiores aceleradoras do mundo) e Membro do Comitê da Rede Global de Empreendedorismo, atuando como uma das líderes locais em Sorocaba. Autora de dois livros pela Câmara Brasileira do Jovem Escritor, poetisa e aventureira nas horas vagas.